terça-feira, 15 de agosto de 2017

O Ladrão do Tempo - John Boyne

Matthieu Zéla tem uma vida extraordinária. Ele está com 256 anos de idade e seu corpo parou de envelhecer quando ele tinha em torno de cinquenta anos, conservando uma aparência atraente e bem cuidada.


Matthieu nasceu na França e fugiu de lá ainda adolescente, levando consigo seu meio-irmão Tomas, depois da morte violenta do pai, da mãe e depois do padrasto. No navio a caminho da Inglaterra, ele conhece Dominique, uma jovem misteriosa por quem se apaixona instantaneamente.

Chegando à Inglaterra, Matthieu, Dominique e Tomas vão morar juntos em uma estalagem. Matthieu os sustenta cometendo pequenos furtos, e Tomas parece ir pelo mesmo caminho, até o dia em que Matthieu é espancado na rua, quando, então, eles decidem ir embora novamente.

Apesar da primeira noite de Matthieu e Dominique ter sido tórrida, depois disso o relacionamento entre eles passa longe de ser romântico. Dominique se distancia e passa a tratar Matthieu como irmão, e a dizer a todos que essa é a ligação entre eles. Mas Matthieu, apaixonado, faz de tudo pra ficar por perto dela, na esperança de conquistá-la.


Ao longo de sua vida, Matthieu acaba por participar de alguns dos eventos mais marcantes da humanidade: a Revolução Francesa, a construção do Palácio de Cristal que abrigou a Grande Exposição de 1851, as duas grandes guerras mundiais, os primeiros Jogos Olímpicos da era moderna, a quebra da Bolsa de Nova York, o desenvolvimento da tecnologia, o surgimento da televisão e da internet.


Apesar de Matthieu viver tantos anos e haver conhecido muitas mulheres, Dominique foi para sempre o único amor dele.

Enquanto o mundo muda, Matthieu tem dezenas de namoradas, se casa várias vezes, exerce diversos tipos de trabalho, conhece diversos países e está sempre cuidando da linhagem de seu irmão Tomas, constituída sempre por rapazes do mesmo nome, com pequenas variações - Thomas, Tom ou Tommy - que tem uma forte inclinação a algum tipo de vício e morrem jovens, tão logo produzem um novo herdeiro. Assim, o Tomas da vez, que nunca chega a conhecer o anterior, sempre pensa que é sobrinho de Matthieu, porque ninguém sabe a verdadeira idade dele.

Mas Matthieu, apesar de ter aproveitado muito todos os seus anos e ter vivido fatos excepcionais, chega num ponto em que está cansado de sua longa vida e frustrado pelo ciclo curto e repetitivo das vidas dos Tomas, porque por mais que ele faça tudo para ajudá-los e cuidar deles, sempre morrem cedo e de forma trágica, repetindo incessantemente a história de seu irmão.


O livro é todo contado em flashbacks: um capítulo mais antigo, um mais recente, outro mais antigo... As mais de 500 páginas do livro fluem muito rápido e poderia facilmente ter mais 500. A trama é muito bem articulada e o modo como os fatos são narrados fazem a história toda se encaixar no final, e os primeiros anos da vida de Matthieu na Inglaterra serão responsáveis por revelar o motivo dos vícios dos Tomas, e também por que eles sempre vivem perto de Matthieu e morrem cedo, além da razão de Matthieu viver tantos anos e nunca mais haver se apaixonado por ninguém como por Dominique.

2 comentários:

  1. rodrigocosta1415@hotmail.com15 de agosto de 2017 22:46

    Curti a história, me parece envolvente

    ResponderExcluir
  2. Anne, não conhecia esse livro, mas pela sua resenha, fiquei bem curiosa!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...