quarta-feira, 31 de agosto de 2016

BEDA #31: O BEDA que não foi

Aí que meu BEDA bugou.

Foto: Thiago Floriani

Meu BEDA começou bem, os posts fluíram fácil e os posts das boy bands me surpreenderam com um aumento vertiginoso de visitas que até agora eu tô me perguntando de onde veio todo esse povo.

Mas aí, no meio do BEDA (e no meio desse agosto que durou 300 dias) veio um momento pavoroso da minha vida e a casa caiu, dessas rasteiras que você demora pra entender de onde veio, o que foi que te derrubou, como assim, por que eu, por que agora? Deus me odeia? E o que depois de uma longa tempestade que durou anos estava finalmente se ajeitando, bagunçou tudo de novo.

Enquanto todo mundo à minha volta me cobrava decisões, eu tentava me concentrar só em continuar respirando. Era como um mantra que eu tirei de uma música há muitos anos e repetia mentalmente: keep breathing. Keep breathing. Keep breathing. Porque, se eu conseguisse, uma hora iria conseguir também voltar a pensar direito e arrumar um jeito de seguir em frente.

Teve absinto e Rivotril pra dormir. E teve toda a minha vida de pernas pro ar outra vez. E teve apoio vindo de onde eu nem imaginava.

E eu, que passo a maior parte do tempo detestando a humanidade, ainda tive uma surpresa boa no meio de toda a m*rd@ que a minha vida tinha virado: encontrei pessoas. Encontrei pessoas que não tinham obrigação nenhuma de estar ali, de me ajudar de alguma forma, e mesmo assim elas fizeram. Reencontrei pessoas das quais eu tinha me perdido há muito tempo e, mesmo as vendo com freqüência, não achava que algum dia a gente ainda conseguiria se unir pra alguma coisa. E encontrei uma pessoa que me conhecia só há menos de dois meses, mas que me apresentou a outras duas e, de um modo que eu nem entendo, foi justamente o abraço dessas duas estranhas que começou a juntar todos os pedaços quebrados dentro de mim.

Essa vida é muito louca mesmo.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

BEDA #11: Como começar a se tornar vegetariano - parte II

Hoje segue a segunda parte desse post aqui, com mais dicas sobre como começar a se tornar um vegetariano de forma simples e sem stress. São dicas úteis também pra quem não tem a intenção de ser vegetariano, mas pretende reduzir o consumo de carne.

Por onde eu começo?

Existem muitas formas e cabe a cada pessoa ver o que se adapta à sua vida. Quando me tornei vegetariana ainda não conhecia nenhuma dessas campanhas, mas aqui vão algumas ideias que tenho visto e gostei muito:

Segunda sem carne



As bases da Segunda Sem Carne estão nesse site, onde tem muitaaaaaas receitas fáceis, dicas de nutrição, notícias, depoimentos e uma lojinha fofa. Segunda-feira é o dia oficial de começar algo novo, então que tal começar a semana com uma alimentação sem carne? Sem contar que no final de semana a gente costuma exagerar em tudo (comida, álcool, açúcar...), então uma segunda-feira sem carne, com uma alimentação mais leve, colorida e nutritiva, pode funcionar como um detox pro corpo eliminar mais facilmente o inchaço e as toxinas.

Vegetariano de segunda a sexta-feira



Essa ideia eu vi nesse vídeo e achei muito interessante. O palestrante relata que vem pensando no quanto o consumo de carne causa danos ao meio ambiente e sofrimento aos animais; por outro lado, ainda não está preparado pra comer seu último hambúrguer. A solução que ele encontrou foi ter uma alimentação vegetariana de segunda a sexta-feira. Os finais de semana são livres, ele pode consumir carne ou não. (Claro que um vegetariano propriamente não come carne nem mesmo eventualmente, mas vocês entenderam a ideia, né?)

21 dias sem carne



Há vários anos, estudos vem mostrando que, ao praticar determinada coisa por 21 dias seguidos, ela se incorpora à sua rotina e se torna um hábito. Essa é a ideia do 21 dias sem carne, que vocês podem conferir nesse perfil do Instagram e nesse site. Ficar por um período mais longo como esse sem consumir carne já é suficiente para o corpo sentir os bons efeitos de uma alimentação vegetariana, como eliminação do inchaço, perda de peso, mais disposição, regularidade do sono, pele mais viçosa e hidratada. O perfil no Insta mostra dicas, mensagens de incentivo, fotos inspiradoras de comidas veganas e muitas receitas.

É como eu já disse antes: não precisa ser 8 ou 80, existem muitos meios-termos e todo esforço é importante e faz diferença!

Alguém a fim de tentar? Me contem!

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

BEDA #10: As boy bands da minha vida: Westlife

O Westlife foi a minha boy band preferida (para total alegria do meu irmão, #sqn) e eu tinha, insanamente, todas as músicas decoradas. Tive uma amiga apaixonada pela banda também, aí agüenta o teor das conversas, né?

Interessantemente, hoje é raro que eu escute alguma música deles.

O Westlife era a mais romântica das boy bands e praticamente todas as músicas eram sobre amorzinho/não sei viver sem você/tô feliz porque você tá aqui/tô triste porque você foi embora/não vá embora não. Qué dizê: tudo que uma menina de 16 anos NÃO precisa ouvir. Devia estar lendo O Mundo de Sofia, mas estava escrevendo umas letras de músicas babonas na contracapa das apostilas do Anglo. Perdoa, Deus! Hahahaha

Mas calma, não virei uma alienada por causa disso.


Anyway, era fofo e eu amava (óbvio), e já que é BEDA e já que estamos falando de boy bands...

Westlife foi um grupo irlandês formado em 1998 e teve enorme sucesso no mundo todo, alcançando o terceiro maior recorde de singles no Reino Unido, ficando atrás somente de Elvis Presley e The Beatles. Seus primeiros singles, Swear It Again e If I Let You Go, emplacaram no primeiro lugar em várias rádios e isso deu força ao lançamento do primeiro disco, que tinha o mesmo nome da banda. Nos anos seguintes foram lançados os álbuns Coast to Coast, World of Our Own, Unbreakable, Turnaround,  Allow Us to Be Frank, Face to Face, The Love Album e Back Home, todos sucessos de vendas. Ao todo, foram vendidos mais de 40 milhões de discos. O Westlife se separou em 2012, após uma turnê de despedida e o lançamento do álbum Greatest Hits.

Assim como 'N Sync, esse também não dá pra ser só Top 5, tem que ser Top 10!

Change the World



If I Let You Go



When You're Looking Like That



Why Do I Love You



World of Our Own



Heal


Uptown Girl



What Becomes of the Broken Hearted



What I Want Is What I've Got



Can't Lose What You Never Had



E assim se encerra a série de posts sobre as boy bands da minha vida, e quem viveu essa fase, espero que tenha curtido e matado a saudade também! Pra mim foi nostálgico fazer esses posts e reviver um pedacinho especial da minha vida que eu guardo com carinho.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

BEDA #9: As boy bands da minha vida: Five

O Five (ou 5ive) foi uma banda de música pop formada por cinco britânicos em 1997, pelos mesmos empresários que agenciaram as Spice Girls. Apesar de os próprios integrantes haverem escrito ou co-escrito a maioria das músicas, o sucesso do Five não alcançou o de outras boy bands da época, como os Backstreet Boys ou o 'N Sync. Ainda assim, a banda vendeu em torno de 20 milhões de discos em todo o mundo e alcançou os primeiros lugares nas rádios com onze músicas.

Pesquisas indicam que: não tá fácil achar uma foto decente desse povo.

A jornada da banda foi turbulenta, com várias saídas e retornos de dois dos membros e algumas trocas de equipes de gestão, e se encerrou em 2001. Eles chegaram a fazer uma turnê em 2013, mas não há notícias de que voltem a se reunir novamente.

Enquanto os Backstreet Boys eram mais românticos, as músicas do Five tinham uma pegada mais dançante, influenciada pelo rap, funk e hip hop.

Satisfied


Got the Feelin'



Everybody Get Up



You Make Me a Better Man
Eles eram fofos às vezes.


Keep on Movin'
Deixei o melhor pro final, porque essa música está no meu iPod até hoje e eu escuto no carro indo pro trabalho. Julguem-me! Hahahaha


Alguém mais matou saudades por aí?

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

BEDA #8: As boy bands da minha vida: 'N Sync

O 'N Sync foi uma boy band americana de música pop que se formou na Flórida em 1997 e vendeu mais de 50 milhões de discos pelo mundo. As músicas passaram anos constando no topo das mais pedidas de diversas rádios. O nome da banda vem da última letra dos nomes dos seus integrantes: Justin, Chris, Joey, Lansten e JC.


Em 2002, após a turnê do álbum Celebrity, ele decidiram entrar em hiato porque Justin Timberlake estava mais interessado em fazer carreira solo. Em 2007 eles anunciaram que o grupo não voltaria e em 2013 se reuniram para fazer apenas uma apresentação juntos.

O figurino é muitas vezes tenebroso e as dancinhas coordenadas merecem risos eternos, mas vá, é um post nostálgico!

Esse é impossível fazer só um Top 5, então vai um... Top 8!

Bye Bye Bye


It's Gonna Be Me

Bonequinhos dançantes do 'N Sync: QUERO!

Girlfriend


I Want You Back



Gone


Tearin' Up My Heart


Selfish


This I Promise You

domingo, 7 de agosto de 2016

BEDA #7: As boy bands da minha vida: Backstreet Boys

BEDA rolando e vamos dividir um pouco de amor e de vergonha alheia? Vamos!

My confession: fui uma adolescente fã de boy bands. Nunca curti as dancinhas, nunca tive pôster no quarto, não assistia aos clipes e mais ou menos sabia os nomes dos cantores, mas tinha meia dúzia de CDs inteiros na ponta da língua (e agradeço a esses caras por terem aprimorado meu inglês!). Ainda tenho algumas músicas em uma pastinha do computador e no meu iPod (e escuto no carro cantando junto, aloka).


Backstreet Boys é formado por cinco norte-americanos que se vestiam iguais e faziam umas dancinhas engraçadas que se reuniram em 1993 e lançaram o primeiro disco em 1996, com o mesmo nome da banda, que foi um estouro de vendas. O sucesso só aumentou com o lançamento dos próximos álbuns, Backstreet's Back em 1997, Millennium em 1999, Black & Blue em 2000 e Never Gone em 2005.

No ano passado eles fizeram uma turnê toda saudosista e passaram pelo Brasil, e quem foi garante que foi pura nostalgia e amor. s2

E o meu Top 5 é esse! Quem gosta já aproveita pra matar a saudade! Agora, quem não viveu a adolescência nos anos 2000's não sabe o que é música! Hahahah (Calma, não me matem, e pelo amor de Deus não reparem nos cortes de cabelo...)

The One


Larger than Life


We've Got it Goin' On 


I Still... (minha preferida ever)


As Long as You Love Me (um clássico pra finalizar)

sábado, 6 de agosto de 2016

BEDA #6: 3 filmes de época

Três filmes lindos pra quem adora uma história antiga.

Maria Antonieta

A princesa austríaca adolescente que dá nome ao filme é enviada ainda adolescente à França para se casar com o príncipe Luis XVI como parte de um acordo entre os países. Na corte, ela se depara com rígidas regras de etiqueta, disputas familiares, fofocas insuportáveis, um casamento infeliz e a crescente pressão para ter filhos. Desconfortável com o mundo que a rodeia, ela cria um universo à parte em seu palacete, onde pode se divertir e ter paz. Enquanto isso, a revolução aumenta e explode fora dos muros do palácio.


Sofia Coppola deu à sua Maria Antonieta características muito humanas, que não estamos acostumados a ver quando normalmente ouvimos falar sobre ela. Recém-chegada à França, bruscamente separada de seu país e de tudo que lhe era familiar, Antonieta enfrenta um choque ao tentar se adaptar à vida em Versailles. Em um segundo momento, ela mergulha naquele mundo de luxo e frivolidade e aproveita ao máximo as distrações que a fazem esquecer a pressão política e pessoal que sofre constantemente, dedicando-se a escolher vestidos e participar de festas. Alguns anos depois, saturada da vida na corte, ela manda construir um palacete onde pode ter alguns momentos de vida tranquila, perto da natureza e de forma tão simples quanto sua condição permitia. Mas em todo o país a revolução estava prestes a estourar e a pouca felicidade que ela encontrou tinha prazo para terminar.

Amo esse filme e não canso de ver!

O Sorriso de Mona Lisa

No início da década de 50, Katherine, vivida por Julia Roberts, é uma professora de arte formada em uma universidade liberal que vai dar aulas em uma escola feminina e tradicional, onde meninas com grande potencial são educadas para se tornarem esposas e mães, sem qualquer visão de futuro profissional. Ela tentará abrir a mente de suas alunas para que se preparem para enfrentar os desafios da vida e façam suas próprias escolhas. 


São emblemáticas as figuras das alunas Betty, uma típica menina de família que coloca todas as suas esperanças no casamento, e Giselle, o oposto de Betty em tudo, que pouco se importa para as regras impostas às mulheres pela sociedade da época. As reviravoltas acontecem quando o casamento de Betty fracassa e Joan, uma das alunas que mais se destacam, decide abandonar seus planos relacionados à universidade e se tornar dona de casa. A temática feminista é tratada com leveza e a estética do filme é linda.

O Curioso Caso de Benjamin Button

Benjamin nasceu em Nova Orleans, em 1918, com aparência e doenças de uma pessoa de 80 anos, mesmo sendo um bebê. Com o passar do tempo, ao invés de envelhecer, ele rejuvenesce. Ainda criança, ele conhece e se apaixona por Daisy, da mesma idade que ele, mas precisa esperar que ela cresça para que, com idades parecidas, eles possam viver seu amor.


Enredo excepcional, elenco incrível (Brad Pitt e Cate Blanchett, precisa mais?) e um filme que é tudo ao mesmo tempo: curioso, dramático, engraçado e fofo, que te deixa ansioso pelo que vai acontecer em seguida, e ainda traz uma reflexão intrigante sobre como são parecidos o início e o final da vida.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...